Como quase perdi no aeroporto a minha viagem para o Chile

Quem viaja de avião já sabe que o recomendado para chegar no aeroporto é de três horas de antecedência para voos internacionais. E eu acabei saindo de casa 15h00, sendo que a decolagem era às 17h45. Ainda assim, eu não imaginava que fosse chegar tão em cima da hora no aeroporto de Guarulhos porque a minha irmã tinha dito que levava uma hora até lá.

Bem na hora que eu estava indo para o metrô Bresser de carro por aplicativo, a chuva começou a fazer o trânsito ficar mais demorado ainda. São Paulo não pode ver uma chuva que já tem congestionamento.

Quando cheguei no aeroporto já era mais de 16h30. Imagina só, então comecei a andar rápido em direção ao meu guichê já falando que eu estava em cima da hora para a atendente. Sorte que, nessa parte, não tinha fila. O perrengue estava me esperando depois da passagem das viagens internacionais.

Ah, só para localizar mais você, tem post dessa viagem aqui. E aí eu já estava com medo de perder o voo porque sabia que ainda tinha umas filas para passar e se tivesse muita gente esperando, eu não ia conseguir chegar no avião a tempo.

Meu Deus do céu, eu deveria ter ido mais cedo sem me importar em pagar um pouco a mais no Uber que estava cobrando bem mais caro que o normal por causa da chuva. Ainda mais que já tinha tido a frustrante experiência de perder um voo na Colômbia.

Depois que fui atendido no check-in, passei por aquela parte chiquérrima dos embarques internacionais. Estava com saudades de fazer aquilo. Entrei contente pelo recinto com a minha malinha de mão e a minha mochila.

Quando chego na fila para fazer o raio-x, veio o susto. Umas 35 pessoas estavam na fila para passar pelo que parecia ser somente uma esteira. Aí comecei a me debater já ali mesmo. A única saída foi andar até o começo da fila e implorar para a pessoa deixar eu passar na frente dela. Se ela não deixasse, o mico ia ser todo meu. Teria que continuar pedindo para furar fila até alguém deixar.

Chamei a moça que a era próxima de vez:

– Ei… – Ela hesitou um pouco, mas eu insisti.

– Ei, você pode vir aqui um minutinho? – falei rápido e aí ela veio meio reticente ou desconfiada.

– Oh, moça, você poderia deixar eu passar na sua frente? É que o meu voo é daqui a minutos, por favor… – Fui mostrando a minha passagem de embarque.

– Ah, sim, por mim não tem problema…

– Muito obrigado, muito obrigado – agradeci já mais aliviado.

Na frente desta moça, tinha outra amiga dela que viu o meu desespero e me deixou passar também.

Uma coisa que atrapalhou para sair logo da fila foi colocar o meu cinto da calça de volta porque o detector de metais apita com esses materiais. Na hora de colocar o meu cinto de novo, ele não estava encaixando, estava emperrando.

Aí, eu simplesmente deixei ele de lado e guardei na bolsa. Eu ganhei uns quilos. Então sabia que não ia passar vergonha de ver minha calça cair no meio do aeroporto.

Fui passando pelo corredor gigante que tem as salas de embarques e adivinha onde que era a minha? Bem no último portão, nem deu para dar uma olhadinha naquelas lojinhas.

Cheguei apressado no portão de embarque e já tinha pessoas entrando. Nessa hora, já fiquei bem mais tranquilo porque não tinha mais risco de perder o meu tão esperado voo para Santiago.

Aqui eu sentadinho no meu lugar no avião. Bem tranquilo. Voo garantido para Santiago? Sí, señor

Como está o Parque Ibirapuera em 2022

Olá, amigos! Neste fim de semana, no domingo, eu fui no tão frequentado Parque Ibirapuera. Fazia tempo que eu não passava por lá. Quase tudo está como antes, o que inclui as áreas verdes, as quadras, os museus, os lagos e os pavilhões. O que mudou foi a pista para as bicicletas que se tornaram maiores.

Gosto de passear e ficar sentado naquela imensa área verde do Parque Ibirapuera. Também curto aproveitar alguma exposição que esteja acontecendo por lá. No domingo, tinha uma exposição que se chama SP-Arte. A entrada custava R$ 50 e os ingressos já estavam esgotados por volta das 13h00.

O horário de entrada do parque é das 05h00 da madrugada e vai até meia-noite. A entrada é gratuita.

Esse é o Monumento às Bandeiras que fica de frente ao Parque Ibirapuera. Essa grande escultura é uma homenagem aos bandeirantes dos séculos XVII e XVIII

Aqui vou eu olhando em direção ao Parque Ibirapuera

Esse é um lago onde têm fontes que fazem as suas danças

Se você vai a pé para o parque, existem diversos portões de entrada de pedestres. Quem quer chegar de carro, pode se orientar pelo mapa abaixo:

Se você pensa que ficar neste parque é entediante, pois saiba que não falta o que fazer no Ibiraquera. São tantas coisas que até vou deixar uma listinha do que ver e fazer por lá:

Parte da natureza:

Leve a sua família para comer um lanchinho em frente ao lago

Cultura:

As plaquinhas espalhadas pelo espaço vão te ajudar a se localizar

Atividades físicas:

Faça a sua caminhada ou corrida em volta do lago do Ibirapuera. Aproveite para respirar um ar mais puro

Conhecimento:

Dica hospedagem:

Se você quer ficar hospedado perto do Parque Ibirapuera, vai também estar próximo da Avenida Paulista, outra região da cidade bastante visitada.

Bourbon Convention Ibirapuera

Divulgação/Hurb

Mercure São Paulo Jardins

Mercure São Paulo Jardins, hotel está próximo da Avenida Paulista. Em pouco tempo, você chega no Ibirapuera

Vou deixar aqui uma dica de oferta para voo, hospedagem e café da manhã para São Paulo.

Vista área do Parque Ibirapuera
Divulgação/Hurb

Como é a Praia do Forte em Florianópolis

A praia do Forte em Florianópolis tem águas mais mornas e claras, ondas tranquilas e está localizada na região norte da ilha, do lado das praias de Jurerê Internacional e de Daniela. Você pode aproveitar para relaxar sem estar no meio da muvuca, pois o local tem um acesso menos fácil por estar praia meio isolado. Porém, caso você queira sentar almoçar ou comer algum petisco, também tem opções de restaurantes por perto.

Apesar do acesso não ser tão prático por causa de uma única via para descida e subida de carros, é claro que na alta temporada do verão, você sempre vai encontrar as praias de Florianópolis lotadas, ainda mais nos dias festivos e final de ano. Fora dessas datas, a praia do Forte não conta com muitos frequentadores que deixam a faixa areia aglomerada.

Tarde de verão em Floripa

O que eu mais gostei desta praia foi a água mais morna e as ondas mais tranquilas, o que é uma dádiva em comparação às outras praias de Floripa que podem ter águas frias ou geladas e ondas arrasadoras dependendo do dia.

Ondas do tipo “piscininha, amor” kkk

No canto direito, tem algumas pedras que você pode aproveitar para tirar suas fotos. Também o famoso forte está perto e é um resquício da história de Floripa. Se você preferir, pode visitar o lugar que é um museu.

Tire um tempinho para essa parada histórica

A paisagem no fim do dia nessa praia foi uma das mais bonitas que já presenciei, olha só esse céu na chegada da noite.

Lindo

Já que estou falando da Praia do Forte, não custa nada mostrar um pouco também de Jurerê Internacional que fica grudada. Eu particularmente, nunca me interessei em ir para a praia Jurerê por não achar a região tão bonita no quesito mar.

Mas, se você gosta de passar por regiões de casas de alto padrão e sentir um pouco do glamour desses locais, então recomendo uma rápida caminhada. Um dia eu acabei descendo em Jurerê Internacional para combinar com uns amigos para ir até a praia de Daniela.

Aproveitei para tirar algumas fotos pelo centrinho do bairro.

Bairro de Jurerê Internacional em Florianópolis
Dia ensolarado em Floripa
Debaixo da sombra da árvore esperando o meu carro de aplicativo

Caso você esteja na praia de Jurerê Internacional, no canto esquerdo, saiba que tem como chegar a pé até a Praia do Forte. Você só precisa subir um pouco o morro do forte, passar por ele e descer. Não tem como se perder.

Como aproveitei diversos lugares em Santiago no verão de 2022

Na última vez que eu tinha ido para Santiago era inverno. Neste ano de 2022, eu fui no verão e posso dizer que com certeza que aproveitei bem mais a cidade do que antes. Saí sem medo medo do frio para passear no Parque Forestal, no Parque Bustamante, pelo bairro Lastarria, Bella Vista, subi e desci de manhãzinha o Cerro San Cristóbal e visitei o famoso Cerro Santa Lucía também.

Fui observar o pôr do sol no famoso Sky Costanera que tem a vista mais alta da América Latina, passei pelo Mercado de Abastos, Plaza de Armas, no Centro Cultural de la Moneda e o Museu Bellas Artes. Tudo no centro.

Depois de vencer todas as burocracias para entrar no Chile, eu mereci passear por todos os lugares que pudesse. Ah, quando eu estava lá, alguns locais como a praça de alimentação do Costanera Center exigiram o Pase Movilidad, que é um documento que o governo te fornece para você passear por onde quiser sem ser barrado pelas autoridades. Se for para o Chile, é só obter esse documento aqui. Mas antes é preciso ter esses requisitos aqui.

Vamos lá vou falar sobre cada lugar que dá para conhecer melhor em Santiago no verão:

Lugares com natureza:

1 – Parque Forestal

O Parque Forestal fica no bairro de Providencia, próximo do centro. E é um dos mais bonitos de Santiago na minha opinião. As diversas árvores cheias de folhas no “estilo outono” deixam o ambiente ótimo para fotos. Lá eu consegui fazer uns passeios de manhã, no fim de tarde, ouvir minhas músicas e simplesmente relaxar na grama ou em um banco.

Circulando pelo parque Forestal

Esse parque vertical vai até depois do Museu Bellas Artes e também é bem frequentado pelos moradores à noite no fim de semana. Você não precisa ficar preocupado com a segurança, mas precisa tomar ser cauteloso e não ficar muito tarde por lá.

2 – Parque Bustamante

O Parque Bustamante está perto do Forestal e do metrô Bustamante. Esse parque tem algumas banquinhas que vendem artesanatos em um espaço amplo. Além disso, existem opções de restaurantes por perto caso você sinta alguma fome.

Em um dos dias em que estive pelo parque, eu vi um homem fazendo acrobacias em uma bicicleta pendurada por uma corda em um tronco de uma árvore. Algo que eu nunca tinha visto antes.

Parque Bustamante em uma tarde amena

3 – Cerro San Cristóbal

Não tem como ir para Santiago e não visitar o tão famoso e icônico Cerro San Cristóbal, né? Existem diversas formas de subir até o topo da montanha que tem uma vista espetacular da cidade. Eu subi e desci tudo andando, pois gosto de praticar exercício físico.

Caso você não queira andar muito, tem o que te teleférico que te leva pelo valor de aproximadamente R$ 25,00. Aqui vai o site da empresa do transporte.

A dica que dou é que na subida existe uma trilha que serve para cortar caminho, porém é mais árdua de ser enfrentada. Na descida, existem vários percursos que você pode escolher. Pergunta para alguém que trabalhe no local aonde você quer ir para não se perder como eu.

Vista do Cerro San Cristóbal com o Sky Costanera no fundo
Dá para ter noção do tamanho grande da cidade por causa da vista do Cerro San Cristóbal

Perdi o caminho, mas achei o letreiro do Chile

A parte boa de ter me perdido foi que passei por lugares que não teria ido e curti, como o Jardim Japonês.

Uma pequena parte do Jardim Japonês

4 – Cerro Santa Lucia

Esse indico para quando você estiver perto do Museu Bellas Artes. O Cerro Santa Ana é um refúgio natural com um bela vista bem no meio de uma cidade grandiosamente urbana. Aproveite a proximidade para passear também pelo bairro Lastarria repleto de restaurantes e arte.

No Cerro Santa Ana, é lógico que você não precisa se preocupar em se cansar muito, pois esse morro é pequeno. Lá é um lugar que pode ser frequentado como um parque em um fim de tarde e tem uma vista de uma parte da cidade de Santiago.

Vista do Cerro Santa Ana

Nos dias em que fui, não consegui passar muito tempo lá por causa das manifestações que estavam acontecendo de estudantes próximo do Cerro Santa. Por esse motivo o parque fechou mais cedo. O horário no verão é das 09h00 às 20h00.

Lugares com comércios, restaurantes, lazer e cultura

1 – Museu Bellas Artes

O Museo Bellas Artes é o mais antigo da América Latina. Quando visitei esse museu, a entrada foi gratuita. Na ocasião as exposições abordavam a produção cinematográfica do país. Esse museu fica perto do Parque Bustamante, do Cerro Santa Lucía e do bairro Lastarria, ou seja, você consegue visitar vários pontos em uma tacada, mas é lógico que vai precisar de tempo.

Museu Bellas Artes no fim da tarde e início da noite

2 – Bella Vista

Esse bairro é um reduto de variedades gastronômicas, músicas e diversão. No pátio Bella Vista, que é um centro comercial repleto de restaurantes e alguns com música ao vivo, você consegue escolher qual comida quer degustar. As opções no lugar são diversas, como comida peruana, mexicana, chilena, entre outras.

Eu optei por um restaurante de comida mexicana porque estava com uma amiga que conheci no México e decidimos comemorar e relembrar os velhos tempos de diversão em Playa del Carmen.

O restaurante escolhido foi o La Rosita. O ambiente tem um estilo mexicano bem forte, cheio de cores e uma decoração que te faz relembrar o México sim. Simplesmente amei e recomendo. Do lado da parte restaurante, tem a música ao vivo. Os cantores estavam bastante animados e mandaram bem nas diversas músicas.

Rosita é um restaurante que fica dentro do Pátio Bella Vista
Esse prato mexicano é uma delícia, pena que esqueci o nome
Selfie no espelho do banheiro da Rosita

3 – Costanera Center

Na verdade, o que tem de diferente no Costanera Center, que é um shopping, é o Sky Costanera que tem a vista mais alta da América Latina. Fora isso, você pode andar pelo shopping para comer, tomar alguma coisa ou fazer algumas compras pelas lojas.

Sobre os preços, eu posso afirmar que a maioria das coisas não têm valores convidativos. O Chile está mais caro do que antes. Sem dúvidas é um dos países mais caros que visitei para compras e comidas.

Apesar disso, acabei comprando uma blusa em um mercado dentro do Costanera Center pelo valor de R$ 50,00, porque tinha ido sem blusa para Santiago e ia passar uma noitada pela Bella Vista.

Costanera Center. Na praça de alimentação me pediram o Pase Movilidad para entrar nessa parte

4 – Sky Costanera

O Sky Costanera compete o posto de primeiro lugar com o Cerro San Cristóbal no quesito passeios com paisagens deslumbrantes.

Eu fui no Sky Costanera um dia antes de voltar para o Brasil. A vista desse mirador é panorâmica, são 360° graus de paisagem do alto do Costanera Center.

O melhor momento para observar a paisagem é no fim da tarde quando o pôr do sol está chegando. Lembrando que o pôr do sol é por volta das 20h00 no verão.

Neste dia, eu estava com a amiga chilena Mari e tiramos várias fotos juntos. Foi um fim de dia sensacional.

Eu e a Mari nos reencontrando no Chile depois de 5 anos de nos conhecermos no México
Tarde com vista deslumbrante no Sky Costanera
Um monte de prédios com uma vista das montanhas
Vendo o pôr do sol no Sky Costanera

O valor da entrada do Sky Costanera é de aproximadamente R$ 75,00. Em pesos chilenos o valor é de $ 15.000,00.

5 – Centro de Santiago

O centro tem vários pontos atrativos. Mas eu vou deixar um resumo do que não perder por lá do que eu conheci:

Plaza de Armas

Nela você pode parar um pouco para você observar como é o lugar bem no coração do centro. Por volta das 18h00, eu super recomendo ficar pela praça para você ver as manifestações artísticas locais que acontecem por lá e que têm pessoas de talento. Eu gostei.

Solzão na Plaza de Armas em Santiago

Centro Cultural de la Moneda no Palácio de la Moneda

Neste centro cultural moderno tem uma biblioteca no subsolo e o prédio possui diversas exposições gratuitas. A que mais gostei foi a que abordava as canções de ninar típicas do Chile. Tinha até musiquinhas cantaroladas gravadas em cada parte da exposição.

Essa é a entrada no Centro Cultural de la Moneda. É só descer as escadas para entrar no local

Mercado de Abastos e Mercado Municipal

Esse é um lugar para fazer a sua feira. No caso de Santiago, você vai encontrar um infinidade de frutas, verduras, legumes, etc.

Além disso, perto do mercado de Abastos tem o Mercado Municipal em que você pode aproveitar para experimentar alguma coisa regional como as famosas empanadas chilenas, por exemplo. Esse lugar é cheio de restaurantes.

Ruas Paris e Londres

Tem as ruas Paris e Londres que são curtas. Eu só recomendo esse passeio se você estiver hospedado muito próximo do centro porque em Bella Vista você tem o mesmo tipo de atrativos ainda maior e melhores.

5 – Bairro Lastarria

O fim de tarde é melhor momento para passear por lá, pois essa região é bem artística e boemia. Existem banquinhas na rua de diversas variedades como artes, bijuterias, roupas e outros acessórios.

As opções de restaurantes e cafeterias para tomar alguma bebida são várias. Você também pode encontrar um lugar para tomar o seu café da manhã. Até mesmo um cinema você tem na região.

Bônus

Em uma ruas próximas do Bairro Lastarria, especificamente em frente ao metrô da Universidade Católica e ao GAM que é o Centro Cultural Gabriela Mistral, todas as quartas e quintas-feiras, um monte de gente se reúne para dançar salsa cubana na praça. Eu simplesmente amei esse tipo de interatividade entre as pessoas.

Se você quiser participar, é só se inscrever no grupo do WhatsApp de salsa cubana. Vou deixar aqui o Instagram desse grupo que tem mais detalhes sobre os encontros.

Ah, eu vou deixar aqui também o meu Instagram com os vídeos dos passeios que fiz no Chile em 2016 e neste ano.

Como é a cidade supercolorida de Guatapé na Colômbia?

Guatapé é uma pequena cidade na Colômbia, a uma hora de Medellín. Lá você vai se deparar com um convite para relaxar na natureza e apreciar a animação da cores das construções. Além disso, entre os morros verdejantes e a represa, as ruas desse vilarejo demonstram muito estilo e vida.

Assim que você chegar, fica fácil de encontrar um estabelecimento público, perto da praça central, que distribui mapas da região e auxilia o turista com informações pertinentes aos atrativos do lugar. O passeio a pé é bem-vindo.

Praça Zócales em Guatapé, na Colômbia. Aqui você vai ver muita cor e arte que se derramam pela cidadezinha

O centro dessa cidadezinha é colorido e cheio de opções para comer e beber. Caso você prefira uma vista da represa na hora da refeição, restaurantes perto não vão faltar. Os preços não são caros, é possível comer algum prato típico saboroso sem comprometer o bolso.

Uma ruazinha de Guatapé mostra como existe alegria nas ilustrações no interior da Colômbia
Arquivo pessoal

Para visualizar algumas ilhas e mansões, é preciso pegar um barco que faz o tour que dura aproximadamente uma hora. Passear pela represa navegando, irá revelar algumas histórias que estão ligadas aos problemas sociais do país.

Se você preferir dormir na cidade, existem opções de hospedagem fáceis de serem encontradas perto do centro e nas ruas em volta.

Essa é represa da cidade. Não faltou chuva, né? É aqui que você consegue fazer um passeio de barco, que eu altamente recomendo
Arquivo pessoal

Deixei a minha mochila no canto e fui tirar a minha foto na natureza. Respirar um ar mais puro combinou com uma boa caminhada

Quem quiser ter mais contato com a natureza poderá ir caminhando do centro da cidade até El Peñol, uma pedra gigantesca com 659 degraus. É preciso de tempo para chegar até o topo. A pedra chama a atenção por sua altura, são 2.135 metros. Para quem preferir transporte, existem pequenos veículos no centro de Guatapé que levam até essa pedra.

E para terminar com chave de ouro, essa é gigantesca pedra El Peñol no começo da cidade, mas que recomendo deixar para visitar por último
Reprodução: Jouney Era

O transporte de Medellín até Guatapé é fácil, somente é preciso pegar um metrô até a estação Caribe. De lá vá até o terminal Norte, nele é possível pegar um ônibus que parte para a cidadezinha colorida.

Como é o centro da cidade de Cochabamba, na Bolívia?

O centro da cidade de Cochabamba na Bolívia foi uma surpresa para mim. Hoje eu vou mostrar essa região com as suas lindas praças presenteadas por um trabalho de jardinagem, que eu vi em poucos lugares. Outro lugar para conhecer também é o lago La Angostura.

Faria fácil um quadro com uma paisagem urbana dessas repleta de flores
Arquivo pessoal

Diversos estudantes brasileiros vão para Cochabamba por causa dos valores mais acessíveis dos cursos de Medicina. Ao andar pela cidade, você percebe uma vida universitária pulsante. Nas praças é muito comum ver jovens e famílias simplesmente passeando à noite sem nenhuma preocupação.

Olha o trabalho da podadura. Merece uma foto, né
Arquivo pessoal

Os preços dos restaurantes, do transporte e da hospedagem são acessíveis, porém existem também as opções mais luxuosas que têm os seus valores informados em dólares. Quem gasta pouco aproveita e quem gasta mais também. No caso das praças, todo mundo que tiver disposição para caminhar por lá, vai aproveitar o programa sem custo.

A cidade de Cochabamba tem uma parte mais movimentada, mas esse lado é ideal para quem quer descansar e apreciar a vista
Arquivo pessoal

Para fechar o fim do dia, depois do pôr do sol, o Lago Angostura é uma ótima parada, quando começa a escurecer, você pode ver as luzes das casas refletindo na água. Caso você tenha disposição, é até possível fazer uma corrida. Só não se esqueça que o fôlego tem que ser dobrado, por causa da altitude da cidade de 2570 metros acima do nível do mar.

Depois das praças no centro, o Lago Angostura é uma parada linda para terminar o passeio. Só não esqueça de levar uma blusa
Arquivo pessoal

Você conhece o Casco Viejo, parte antiga e badalada da Cidade do Panamá?

A Cidade do Panamá tem uma urbanização grande em um espaço pequeno, se comparada com outras cidades ao redor mundo. Os arranha-céus de lá mostram o nível de modernidade dos edifícios. Além disso, existe uma região, ainda na cidade, que entra em constraste com o centro e ela se chama de Casco Viejo, que é cheia de construções antigas com cara de uma arquitetura mais clássica e, que tem diversas opções para fazer uma refeição, compras e escutar alguma música sem ficar longe da beira do litoral. Tá bom ou quer mais?


Essa é a praça Herrera bem no centrinho de Casco Viejo

O dia ensolarado na Cidade do Panamá é um convite frequente para um passeio pela região que, no meio da semana, está tranquila

O melhor horário para visitar o Casco Viejo é no fim da tarde, quando o sol já não está tão forte. Os dias mais movimentados são os fins de semana. Se você quiser ir de lá para a parte mais moderna, não vai estar longe. Aproveite para passar pela Cinta Costera, que é aquele calçadão em frente à beira da praia e aos edifícios da cidade.

Restaurantes em edifícios bem conservados e calçadas limpas fazem parte do cenário

Além do visitado Canal do Panamá, essa região é bem turística. O clima é bem caloroso, então não saia de casa sem o seu protetor solar e uma garrafinha de água. Lá no Casco Viejo, você poderá perceber que existem diversas pessoas visitando e tirando as suas fotos. Uma curiosidade é que vários estrangeiros dos Estados Unidos gostam de visitar a cidade.

Pressa para quê? O importante é aproveitar o tempo e conhecer as lojinhas de artesanatos locais espalhadas pela região

Essa é a sede do governo federal que fica à beira-mar, também chamado de Palacio de las Garzas

E vindo pela parte da Cinta Costera, essa é uma passagem repleta de flores que você encontra próximo do Casco Viejo

Conhecendo a Laguna Llanganuco, no Peru, em Huaraz

O Lago Llanganuco fica na cidade de Huaraz, região norte do Peru. Esse foi um dos lugares que mais me surpreendeu pelas belezas naturais inesperadas. A água de cor azulada do lago chama a atenção dos visitantes. Em volta, você encontra duas montanhas enormes que dão uma grandiosamente para a vista. A natureza mostra como pode ser diversa em lugares remotos.

O começo do dia estava meio fechado na Laguna Llanganuco, porém o sol apareceu depois

A paisagem, que está localizada dentro do Parque Nacional Huascarán, tem uma exuberância observada em poucos lugares

Para chegar até o Lago Llanganuco, é preciso contratar um tour em uma agência de viagens no centro da cidade de Huaraz. O lugar é pequeno, você consegue caminhar por lá tranquilamente e encontrar uma agência sem precisar de muito tempo. Uma dica importante: pergunte quais os gastos que não estão inclusos no valor do passeio. No meu tour desse dia, as entradas dos lugares não estavam inclusas. Caso você esteja de carro, também consegue chegar por conta própria.

Esse dia foi um dos mais divertidos da minha viagem. Eu acabei caindo em tour de um grupo de mulheres animadíssimas de Lima. Fizemos amizade e fui praticamente adotado naquele dia. Amei.

Existem diversas opções de passeios em Huaraz. Eu escolhi o Lago Llanganuco por conta da raridade de se encontrar um lago com uma água tão azul, tornando o cenário fascinante. Não me arrependi, ao contrário. Nas duas montanhas, em volta do Lago Llanganuco, persiste uma lenda contando que cada montanha eram duas pessoas apaixonadas.

Caso você queira, tem até a opção de fazer um passeio de barco pelo Lago LLanganuco

Como foi o meu passeio pelo bairro García Ginerés, em Mérida, no México

Oi, pessoal. Hoje eu vou mostrar um lugar que não está no radar turístico dos visitantes da Mérida, no México. O lugar é o Parque Las Américas, no bairro García Ginerés que está próximo do famoso Paseo Montejo. O interessante desse bairro é que você passa a ver como é convivência entre os habitantes locais mesmo, e assim acaba observando uma interação mais cotidiana de quem mora lá.

O Parque Las Américas é bem convidativo para um passeio no fim de tarde, quando o sol está dando uma trégua. Na praça principal, você encontra uma espécie de palco de apresentações aberto e umas colunas que dão um charme para a região. O ambiente lembra um pouco um jardim ao ar livre. Além disso, diversos monumentos fazem referência à história dos maias.

Fim de tarde na colônia García Ginerés. O pessoal começa a bater um papo em meio ao Parque las Américas. Espaço e colunas é o que não falta

Que bonitinho! O cenário tem um ar romântico com essas luzes espalhadas nas colunas enfeitadas de flores

Essa é a visão de quando a noite vai chegando ainda mais. As luzes das colunas deixam o parque só mais elegante. Espaço para sentar, andar e conversar não falta aqui

Uma dica essencial é não deixar de usar repelente. Os mosquitos por lá têm uma fome insaciável. Para encontrar fácil o Parque Las Américas, é só chegar até o Walmart do Paseo Montejo e virar a esquerda, no sentido da avenida. No seu Google Maps, no celular, também fica simples de achar.

Essa é uma arte que lembra os povos antigos, provavelmente os maias, que habitaram na região

Do outro lado do Parque, tem essas esculturas com esse estilo relembrando a arte antiga da região

Essa fonte na ocasião não estava funcionando, mas não tirou o diferencial da paisagem

Em volta do Parque las Américas, existe um ou outro comércio. As barraquinhas de comidas típicas começam a aparecer mais tarde, aproximadamente umas 18h00

Você conhece o Museu de Arte de Tigre?

Quem vai dar um passeio em Buenos Aires, tem uma cidade próxima imperdível para visitar que é Tigre, que fica a uma hora da capital. O transporte de trem é confortável e não custa caro. Existem várias atrações na região, mas vou me focar nessa postagem no MAR, Museu de Arte de Tigre, que é um lugar lindo para conhecer, que até lembra um palácio.

Da estação de trem até o MAR, você consegue ir andando (acho que mais 30 minutos), assim já vai aproveitando para observar como é a cidade. Tem o rio Tigre, uma feirinha e comércios pelo trajeto.

Assim que você chega na estação de trem de Tigre, tem um mapa dos arredores bem na entrada. Lá você consegue ter uma noção de como é a cidade.

Para chegar na estação Tigre, tem um trem que sai da estação Retiro, que fica no centro de Buenos Aires. Você pode conseguir um cartão de transporte que se chama Sube para ter desconto na passagem. Para ter o cartão Sube de graça, tem um posto turístico no centro de Buenos Aires que dá o cartão. Consegui dessa forma quando eu estava lá. Não sei se hoje ainda estão distribuindo. Se for comprar em algum estabelecimento, o valor fica em torno de uns R$ 6,00.

O comecinho da manhã estava frio. Saí da estação já consultando o meu mapa no celular para achar o MAR, Museu de Arte de Tigre.

Passando pela cidadezinha não é difícil de achar o rio Tigre, perto fica uma feirinha de artesanatos e lembrancinhas

Se você gosta de arquitetura, então o Museu de Arte de Tigre já pode ser considerado uma obra artística por causa da beleza de sua forma e do estilo geométrico das estruturas, com base numa arquitetura neoclássica. As exposições desse museu mostram tradições culturais, obras artísticas, fotografias e histórias que envolvem a região, como imagens de casas antigas (sendo uma é uma das exibições atuais).

Essa é uma parte do jardim do Museu de Arte de Tigre, na ocasião alguém estava fazendo uma sessão de fotos

Essa é a varanda do Museu de Arte de Tigre, em volta tem um jardim bem cuidado.

Antigamente esse local era um clube de regatas, mas hoje tem diversas exposições e obras artísticas

Essa é uma das esculturas que você vai encontrar na entrada do MAR.

Subindo para o primeiro andar, você encontra salas de exposições.

Olha esse lustre, como poucos
Vista da porta da varanda do museu

Tomando um pouco de sol na varanda e tirando a minha selfie

Vista da varanda