Como foi passear pelo centro de San José, na Costa Rica

Na segunda vez que visitei San José, na Costa Rica, país que fica na América Central, vi novidades que eu não tinha percebido antes. O centro de San José é pequeno, mas suficiente para um passeio casual.

No centro de San José, no Museo del Jade, você poderá ter mais contato com a história do país pelos vestígios arqueológicos. Perto está o Museu Nacional da Costa Rica que conta a história do país desde a época pré-colombiana, ou seja, antes da chegada de Colombo.

Museu del Jade bem no centro da Costa Rica

No dia que passei por lá, o clima estava um pouco frio e até meio nublado nas montanhas que rodeiam a cidade. San José não é uma cidade com muitos atrativos turísticos, então não tem porque ficar muitos dias por lá, sem contar que o preço das coisas são caros. Evite pegar o táxi em horários de pico, pelas 17h00, porque o trânsito, como toda cidade grande, pode deixar ainda mais cara a sua corrida.

O ponto forte da Costa Rica são as praias, para isso, existe a opção de ir para a cidade de Puerto Viejo, que tem diversas praias lindas. Tem também mais cidades com atrativos naturais exuberantes como o Parque Nacional Manuel Antonio e o Parque Nacional Volcan Tenório que também são outro ponto forte do país.

Aproveite para ir no Jardim Botânico Lancaster que fica perto de San José, na cidade de Cartago, a uma hora da capital.

Museu Nacional da Costa Rica, e o clima insistindo com as nuvens. Nada que uma jaqueta jeans não resolva

Exposição do corpo humano em plena praça no centro

Obra de arte inspirado no formato humano

Passeando pelos arredores do centro de San José
No andar inferior desta praça tem mais um espaço com exposições
Praça no centro com bandeira esvoaçando no fundo

Dica de transporte

Se você está chegando pelo aeroporto, mande um e-mail para o seu hostel ou hotel para que te mandem as opções de transporte disponíveis. Além do táxi, existem ônibus que passam em frente ao aeroporto que vão para o centro e não custam caro. Sempre evite o horário de pico para fugir do congestionamento.

8 lugares imperdíveis para conhecer em São Paulo

São Paulo tem muito atrativo turístico. Tem parques, museus, restaurantes, teatros e comércios para diversos gostos. O Parque Ibirapuera, a Avenida Paulista, o Edifício Martinelli, o Museu da Caixa Econômica Federal, o Teatro Municipal, o Mercado Municipal, o bairro da Liberdade e o Parque da Luz são pontos básicos que todo turista provavelmente vai gostar de visitar.

Para escolher a sua hospedagem, evite lugares que estejam próximos dos seguintes bairros: Sé, República, Luz e Júlio Prestes. Não recomendo andar por essa parte do centro de São Paulo sozinho de dia, e ainda mais de noite, pois pode ser perigoso. Apesar de não acontecer nada comigo por lá, é bom evitar essas regiões.

E aqui vão os lugares baseados no meu gosto para você conhecer:

1 – Parque Ibirapuera

O Parque Ibirapuera é um oásis em meio a uma selva de pedra como São Paulo. Eu simplesmente amo esse parque que tem um espaço enorme seja para pedalar de bicicleta, caminhar, correr, comer, fazer piquenique ou apenas ficar observando o enorme lago com os chafarizes.

Lago do Parque Ibirapuera

A beleza da natureza é o ponto forte deste passeio. Existem também as diferentes exposições nos museus, eventos nos pavilhões e as atrações que acontecem por lá durante todo o ano ou um período breve.

Paisagem natural no meio de uma cidade gigantesca
Esse é o Monumento às Bandeiras que fica de frente ao Parque Ibirapuera. Essa grande escultura é uma homenagem aos bandeirantes dos séculos XVII e XVIII

Dica hospedagem na região:

Ibis São Paulo Ibirapuera

Curta a sala de estar com conforto
Divulgação/Hurb

Bourbon Convention Ibirapuera

Arte é o que não falta neste hotel
Divulgação/Hurb

Comfort Ibirapuera Atlantica

Aproveite uma tarde ensolarada nesta piscina
Divulgação/Hurb

2 – Avenida Paulista

Aqui você vai sentir como é o auge da urbanização de São Paulo que abriga opções para comer, beber, se entreter com arte, música ou exposições. Você também pode simplesmente caminhar e relaxar por lá.

Parque Trianon

Essa pequena área verde sobrevive no meio da agitada “Paulista”, como chamam os frequentadores da avenida. O projeto do parque foi feito pelo paisagista frânces Paul Villon e o inglês Barry Parker.

Você consegue levar as crianças no playground, se mexer nos aparelhos de ginástica e caminhar pela trilha do fauno (caminho com 11 estações e 600 metros que liga a avenida Paulista com a Alameda Santos).

Essa dica é para se você se cansar de andar no meio dos prédios, já tem um lugar para respirar melhor e descansar em um banquinho. Parece até que você sai de São Paulo.

Tem verde também no meio da selva de pedra
Reprodução/Seu Mochilão

Livraria Cultura

Você curte de leitura? Não deixe de passar pela Livraria Cultura e parar um pouco para ler aquele trecho do seu livro desejado. Nesta livraria de vários andares e estilo moderno, você também consegue tomar um café, comer alguma coisa e bater um papo com um amigo.

Livros para relaxar em algum sofazinho
Reprodução/Wikipédia

MASP – Museu de Arte de São Paulo

Esse é o conhecido MASP que é um museu privado sem fins lucrativos e considerado o mais importante de arte europeia do Hemisfério Sul. O acervo do MASP contém mais de 11 mil obras entre pinturas, esculturas, objetos, fotografias, vídeos e trajes de diferentes épocas que mostra a cultura de vários povos como o europeu, o africano, o asiático e o das Américas.

Outra coisa legal é que no vão do museu, você pode ver o Vale do Anhangabaú que faz parte do Centro Histórico de São Paulo.

O MASP tem uma arquitetura moderna e sóbria
Divulgação/MASP

Mirante do SESC Paulista

O SESC Paulista tem atrativos como exposições e diferentes atividades como peças e shows. O que mais chama a atenção neste lugar é o Mirante que fica no 17º andar, de lá é possível ter uma vista mais ampla da Avenida Paulista, desde o bairro da Consolação até o Paraíso.

Os ingressos para o acesso do Mirante são gratuitos e estão disponíveis até quando esgotarem. O início da liberação dos ingressos é na sexta-feira ao meio-dia.

Dica hospedagem na região:

Mercure São Paulo Jardins

Mercure São Paulo Jardins, hotel está próximo da Avenida Paulista

Transamerica Prime International Plaza

Vista dos edifícios em frente à piscina
Divulgação/Hurb

Grand Plaza São Paulo Jardins

Hidromassagem com vista para os edifícios da região
Divulgação/Hurb

3 – Edifício Martinelli

Esse já foi um dos prédios mais altos da América Latina e de São Paulo, sendo o primeiro mais alto da América do Sul. Hoje o terraço do edifício está aberto para visitação. A vista de lá é sensacional e você tem um guia que fala de detalhes e curiosidades da história desse edifício. A inscrição gratuitamente pode ser feita pelo site.

Martinelli foi um imigrante italiano sem recursos que conseguiu crescer financeiramente em São Paulo e realizou o sonho de construir o maior prédio da América Latina, o que na época causou terror no moradores locais que sentiam medo de uma queda do edifício.

Edifício Martinelli já foi o primeiro arranha-céu de São Paulo Divulgação/@edificiomartinelli no Instagram

Um ponto alto deste passeio é que você tem uma vista para todos os cantos da cidade de São Paulo e vai ver como grande ela é.

Dica de hospedagem na região:

Hotel Dan Inn Planalto São Paulo Classic Nacional inn

Caminhe aproximadamente 10 minutos do hotel até o Edifício Martinelli
Divulgação/Hurb

4 – Mercado Municipal

O Mercado Municipal está localizado no Centro Histórico, recebe quase 50 mill pessoas por dia. Lá você vai encontrar frutas, verduras, comidas, chás e diversos tipos de lojas para você conhecer. Aproveite para comer o famoso sanduíche de mortadela, mas saiba que vem bastante mortadela de recheio. Dependendo da sua fome, dá para dividir por dois.

Considerado o maior ícone gastronômico do país, o Mercadão, como também é chamado, recebeu a tocha olímpica no dia 14 de Julho de 2016, o que deu mais destaque para o lugar como um ponto turístico da cidade.

Mercado Municipal de São Paulo, vale uma visita
Divulgação/Mercadomunicipalsp

Dica de hospedagem e passeio:

Se você quer realmente ficar no Centro Histórico de São Paulo, recomendo a sugestão de hospedagem do tópico de cima. Caso você se hospede mais perto da Avenida Paulista, tem como ir até o Mercado Municipal e aproveitar para passar pelo Edifício Martinelli e oTeatro Municipal que estão bem próximos a pé mesmo.

5 – Bairro da Liberdade

Esse bairro é considerado a maior comunidade japonesa fora do Japão. Então aproveite as diversas lojinhas com coisas típicas do país asiático como quimonos, panelas e iguarias asiáticas importadas.

Caminhe pelas ruas que tem postes e decoração de luz no estilo japonês e passe por algum restaurante nem que seja para comer um Yakisoba, um sushi ou lámen.

Bairro da Liberdade em São Paulo é um reduto da cultura japonesa e asiática

Dica de hospedagem

Glória Plaza Hotel

Gloria Plaza está bem no bairro da Liberdade
Divulgação/Hurb

6 – Teatro Municipal

Só a fachada deste teatro já é um belo motivo para uma foto. Esse edifício histórico, que tem mais de 110 anos de história, recebe apresentações artísticas de várias categorias como dança, musical, teatro, exposições, entre outras. A construção do Teatro Municipal veio satisfazer o desejo da alta sociedade de assistir a espetáculos de grandes artistas da música lírica e do teatro.

Teatro Municipal de São Paulo
Interior do Teatro Municipal/Divulgação

Você pode agendar uma vista pelos diferentes espaços do edifício pelo site do lugar.

Essa região é bem no centro antigo da cidade. Cuidado ao caminhar por lá. Não fique mexendo no seu celular.

7 – Centro cultural da Caixa Econômica Federal

O Museu da Caixa Econômica Federal fica bem no Centro Histórico de São Paulo de frente à Praça da Sé. Existem diversos móveis, como máquinas de escrever, e outros documentos preservados que se referem à economia do país. Você vão poder dar uma olhada em ambientes antigos que eram escritórios administrativos da Caixa. Além disso, existem exposições artísticas e fotográficas espalhadas pelos andares do prédio.

Vista da Praça da Sé e da Catedral da Sé do edifício da Caixa Cultural

Máquinas e cadeiras de escritório antigas

Essa é região exige bastante cuidado ao passear por lá. Não mexa em aparelhos eletrônicos e não fique parado. Passe rápido pelas ruas, ainda mais se estiver desacompanhado.

8 – Parque da Luz

Essa região tem três atrativos próximos: o próprio Parque da Luz com seus jardins de estilo francês e italiano, a Pinacoteca de São Paulo que tem exposições de obras de arte e o Museu da Língua Portuguesa que aborda a riqueza cultural e do vocabular do idioma nacional.

Parque da Luz

Aqui você encontra diversas obras artísticas e pode até tomar um café em frente ao Parque da Luz
Pinacoteca/Divulgaçao

Museu da Língua Portuguesa, localizado na antiga Estação da Luz

Também não fique muito tempo parado nas ruas da região e tome cuidados com os seus pertences.

Vou deixar aqui uma dica de oferta para voo, hospedagem e café da manhã para São Paulo.

Vista aérea do Parque Ibirapuera
Divulgação/Hurb

Aqui vou deixar mais opções de hospedagem para você quer ficar em partes mais tranquilas de São Paulo e próximas do centro:

Blue Tree Premium Paulista

O hotel Blue Tree Premium Paulista está a uma quadra da Avenida Paulista
Divulgação/Hurb

Vila Galé Paulista

O hotel está próximo da Avenida Paulista e Rua Augusta

Braston Voa Business Hotel

A 800 metros da Estação de Metrô do Anhangabaú e perto de restaurantes, teatro e cinema

Como está o Parque Ibirapuera em 2022

Olá, amigos! Neste fim de semana, no domingo, eu fui no tão frequentado Parque Ibirapuera. Fazia tempo que eu não passava por lá. Quase tudo está como antes, o que inclui as áreas verdes, as quadras, os museus, os lagos e os pavilhões. O que mudou foi a pista para as bicicletas que se tornaram maiores.

Gosto de passear e ficar sentado naquela imensa área verde do Parque Ibirapuera. Também curto aproveitar alguma exposição que esteja acontecendo por lá. No domingo, tinha uma exposição que se chama SP-Arte. A entrada custava R$ 50 e os ingressos já estavam esgotados por volta das 13h00.

O horário de entrada do parque é das 05h00 da madrugada e vai até meia-noite. A entrada é gratuita.

Esse é o Monumento às Bandeiras que fica de frente ao Parque Ibirapuera. Essa grande escultura é uma homenagem aos bandeirantes dos séculos XVII e XVIII

Aqui vou eu olhando em direção ao Parque Ibirapuera

Esse é um lago onde têm fontes que fazem as suas danças

Se você vai a pé para o parque, existem diversos portões de entrada de pedestres. Quem quer chegar de carro, pode se orientar pelo mapa abaixo:

Se você pensa que ficar neste parque é entediante, pois saiba que não falta o que fazer no Ibiraquera. São tantas coisas que até vou deixar uma listinha do que ver e fazer por lá:

Parte da natureza:

Leve a sua família para comer um lanchinho em frente ao lago

Cultura:

As plaquinhas espalhadas pelo espaço vão te ajudar a se localizar

Atividades físicas:

Faça a sua caminhada ou corrida em volta do lago do Ibirapuera. Aproveite para respirar um ar mais puro

Conhecimento:

Dica hospedagem:

Se você quer ficar hospedado perto do Parque Ibirapuera, vai também estar próximo da Avenida Paulista, outra região da cidade bastante visitada.

Bourbon Convention Ibirapuera

Divulgação/Hurb

Mercure São Paulo Jardins

Mercure São Paulo Jardins, hotel está próximo da Avenida Paulista. Em pouco tempo, você chega no Ibirapuera

Vou deixar aqui uma dica de oferta para voo, hospedagem e café da manhã para São Paulo.

Vista área do Parque Ibirapuera
Divulgação/Hurb

Como é o centro da cidade de Cochabamba, na Bolívia?

O centro da cidade de Cochabamba na Bolívia foi uma surpresa para mim. Hoje eu vou mostrar essa região com as suas lindas praças presenteadas por um trabalho de jardinagem, que eu vi em poucos lugares. Outro lugar para conhecer também é o lago La Angostura.

Faria fácil um quadro com uma paisagem urbana dessas repleta de flores
Arquivo pessoal

Diversos estudantes brasileiros vão para Cochabamba por causa dos valores mais acessíveis dos cursos de Medicina. Ao andar pela cidade, você percebe uma vida universitária pulsante. Nas praças é muito comum ver jovens e famílias simplesmente passeando à noite sem nenhuma preocupação.

Olha o trabalho da podadura. Merece uma foto, né
Arquivo pessoal

Os preços dos restaurantes, do transporte e da hospedagem são acessíveis, porém existem também as opções mais luxuosas que têm os seus valores informados em dólares. Quem gasta pouco aproveita e quem gasta mais também. No caso das praças, todo mundo que tiver disposição para caminhar por lá, vai aproveitar o programa sem custo.

A cidade de Cochabamba tem uma parte mais movimentada, mas esse lado é ideal para quem quer descansar e apreciar a vista
Arquivo pessoal

Para fechar o fim do dia, depois do pôr do sol, o Lago Angostura é uma ótima parada, quando começa a escurecer, você pode ver as luzes das casas refletindo na água. Caso você tenha disposição, é até possível fazer uma corrida. Só não se esqueça que o fôlego tem que ser dobrado, por causa da altitude da cidade de 2570 metros acima do nível do mar.

Depois das praças no centro, o Lago Angostura é uma parada linda para terminar o passeio. Só não esqueça de levar uma blusa
Arquivo pessoal

Um passeio rápido pelo Parque Ibirapuera, em São Paulo

O Parque do Ibirapuera é uma joia da natureza em uma cidade gigante e urbanizada como São Paulo. Se você vai conhecer a capital, esse é um ponto essencial para visitar e sentir umas das melhores opções de lazer ou até mesmo a melhor. Vai depender do seu gosto.

Em frente ao parque, tem o icônico Monumento às Bandeiras, inaugurado em 1953

Se você gosta de praticar exercícios físicos como andar de bicicleta, correr ou apenas passear, o que não vai faltar é espaço.

Vista do lago do parque em um fim de tarde nublado

O espaço verde é enorme, essencial para dar uma respirada e relaxada mais profunda em uma cidade tão agitada como São Paulo. Eu morei a vida inteira em SP, mas só fui visitar o Ibirapuera pela primeira vez com 20 anos.

Aluguei a minha bicicleta e saí para curtir a paisagem

Nessa área coberta, diversas pessoas passam o tempo patinando, apenas conversando e até mesmo fazendo batalha de rap que acontecia nos fins de tarde, no domingo, antes da pandemia.