Rota 66 nos Estados Unidos é cenário de viagens reais e filmes

A Rota 66, nos Estados Unidos, que vai de Santa Mônica até Chicago, é uma das mais famosas estradas de filmes e também pelo menos por mim é um destino desejado, principalmente para aqueles que buscam uma road trip (viagem de carro) bem inspirados naqueles naquelas de cinema. Mas não é só estrada, não. Existem várias construções no meio do caminho para conferir.

A origem da Rota 66 é de 1938 e ela estava sendo desenvolvida para ser uma autoestrada que viria a criar 96 rodovias. Inicialmente foram projetados 4 mil km de extensão. No caminho é possível passar por 200 cidades e oito estados. Uma placa com o aviso “Mid Point” informa os viajantes da metade do caminho.

Bem na beira da Rota 66 tem o Museum Oklahoma. No local estão memórias, fotos e objetos antigos, a entrada custa US$ 7. Esse pode ser considerado um dos lugares mais emblemáticos da viagem.

Uall, que legal esse museu
Divulgação/Travel Oklahoma

Uma das curiosidades da estrada é o primeiro restaurante do MC Donald’s, que está na rota de San Bernardino, na Califórnia. Quem assistir ao filme Fome de Poder (The Founder), baseado em fatos em reais, vai poder rever a unidade da franquia de sucesso de lanches rápidos anos depois da construção.

Mc Donald’s, onde tudo começou
Reprodução/Embarquenaviagem

No estado do Texas, na cidade de McLean, está o museu do arame farpado, conhecido como Tribute To Barbed Wire.

Quem já imaginou que pudesse existir um museu de arame farpado?
Reprodução/TripAdvisor

Existem vários filmes que trazem a Rota 66 como cenário. O Na Estrada (On The Road) dirigido pelo brasileiro Walter Salles, em 2012, conta uma história baseada em fatos em reais relatada pelo escritor Jack Kerouac. Foram sete anos de viagem pela rota que originaram as experiências que foram parar no filme.

Uma longa distância não deixa de ter uma longa história
Reprodução/Acesso Cultural

Quem assistiu ao antigo Sem destino (Easy Rider, 1969) vai se sentir inspirado a fazer o mesmo trajeto. O filme conta a história de dois amigos que começam uma viagem de moto. Eles iniciam a jornada na cidade de Los Angeles e vão até New Orleans, onde haverá uma festa do Mardi Gras, que é algo equivalente ao carnaval no Brasil. Outros títulos como Forrest Gump, Golpe de Mestre e a série Route 66 têm também a estrada como cenário.

Sem Destino foi um dos filmes que se passam na Rota 66
Reprodução/MUBI

Como é Playa del Carmen, no México

A cidade de Playa del Carmen, no estado de Quintana Roo, na península de Yucatán, no México, é um paraíso litorâneo com águas claras de tons azuis ou esverdeados com temperaturas amenas. A praia está em frente a diversos hotéis, lojas, restaurantes e demais comércios que deixam a vista elegante. De Cancún, o percurso dura aproximadamente uma hora de carro ou perua (espécie de minivan), que você encontra fácil no centro.

Esse destino acaba sendo uma opção mais viável se você gosta de ir para os lugares a pé, fazer compras e ter diversas opções de alimentação na beira da praia. Enquanto Cancún é ideal para quem vai fazer tudo de carro, Playa del Carmen convida o viajante a andar tranquilamente com acesso fácil para o comércio e o mar. A Quinta avenida é a principal via para se fazer um passeio que te deixa perto tanto da praia quanto dos restaurantes, shopping, lojinhas de conveniências e até hospedagens. Se você tem mais dias, eu recomendo que fique nessa cidade.

Vou dividir Playa del Carmen em duas partes em relação ao porto principal: lado esquerdo, sendo a parte que eu considero ideal para aproveitar a urbanização, enquanto o direito é perfeito para desfrutar a vida no melhor da praia. Se você quiser pegar um barco de Playa del Carmen até a ilha Cozumel ou Isla Mujeres, pesquise antes por umas três empresas que fazem o trajeto. Quando eu fui, a empresa com o valor mais vantajoso foi a EasyJet.

Avenida Benito Juarez, lado direito do porto e praia mais paradisíaca

Se você quiser encontrar o mar em um de seus melhores momentos, o ideal é ir para a praia na parte da manhã, quando as águas estão tranquilas, transparentes e o clima não está tão quente, principalmente no verão que começa em junho no México, por estar no hemisfério norte. A parte mais bonita dessa praia está localizada no lado direito do porto que recebe as embarcações para a ilha Cozumel e Isla Mujeres. Depois de passar pelo porto, uma caminhada de uns 10 minutos já vai fazer você se deparar com o melhor de Playa del Carmen, note que essa região é chamada de Playacar, você pode caminhar livremente por lá, no entanto, a parte urbana é privada, a não ser que você esteja hospedado nessa região, não é permitida a circulação pelas ruas do condomínio, que têm hotéis luxuosos e lindas casas de frente para o mar, que deixam ainda mais interessante a vista sem tirar a beleza da natureza.

Outra maneira de se localizar facilmente para chegar em Playacar, é descer totalmente a Avenida Benito Juarez. No fim dela, você vai ver uma praça e em frente estará o porto. Aproveite para passar em alguma lojinha perto para comprar uma ou várias lembrancinhas. Você também vai encontrar no caminho diversos mercadinhos e lanchonetes, que podem ser úteis na hora da fome. Inclusive, caso você precise trocar os seus dólares ou reais, também vai achar casas de câmbio com uma boa cotação. Não troque no aeroporto, que tem as cotações mais altas. Pesquise umas três casas de câmbio antes de decidir qual é o melhor câmbio do dia.

Avenida Benito Juarez: diversas conveniências estão disponíveis no trajeto até a beira do mar em Playa del Carmen
Arquivo pessoal
Praça próxima ao porto principal de Playa del Carmen. Xô nuvens cinzentas! Eu quero aproveitar o verão
Arquivo pessoal

Playacar é realmente um paraíso. A sensação relaxante, o mar azul-claro, as ondas fraquinhas na manhã e o sol mais ameno deixam o seu dia sensacional para aproveitar essa praia. Se você puder levar o seu próprio guarda-sol, vai ser bom, porque não existem opções de aluguel e os lugares que fazem sombra são escassos, assim como o comércio que não existe nessa região. De vez em quando, aparecem algumas pessoas vendendo alguma coisa para beber ou comer. Outra informação é que algumas mulheres (não é frequente) fazem topless, não sei se isso deixa desconfortável para quem leva criança.

Dá para acreditar nessa manhã em Playacar?
Arquivo pessoal

Olha para isso, esse é um dos meus dias amenos em Playa del Carmen, na região de Playacar
Sol, mar azulado e brisa. Quer mais ou está pouco?
Arquivo pessoal

Lado esquedo do porto

Aqui é onde você consegue ter aquele seu momento mais consumista. Nesse lado, você encontra lojas de perfume, de diversas marcas esportivas, um shopping bem moderno que vende até produtos da Apple (ótimo para pagar bem mais barato do que no Brasil), entre outros. A praia por lá também é boa, mas não tanto quanto Playacar, que é menos cheia e agitada no sentido de curtição de música e badalação.

Melhor região para se hospedar

Escolher uma hospedagem próximo da avenida Benito Juarez é uma junção do melhor da parte urbanizada e da praia. Você vai ficar próximo do Walmart e demais conveniências caso precise comprar coisas para cozinhar e também vai estar perto para se jogar em Playacar. Quando aproveitei essa região ficando por lá, me hospedei no hostel La Tequilita, que mudou totalmente e hoje se chama Izla Suites. Caso você queira algo mais glamourizado, não vão faltar opções na mesma rua, que está a poucos passos da famosa Quinta Avenida.

Quinta Avenida

Em Playa del Carmen no Natal, a Quinta Avenida fica repleta de decorações natalinas dignas de várias fotos. Se não for a época, tem muito o que aproveitar por esse calçadão que tem lojas de conveniências enormes (uma até tem um fusca colorido para tirar fotos), restaurantes com música e até mesmo hostels. Não tem como não conhecer esse trajeto icônico.

Cor é o que não falta no México
No Natal é quando a Quinta Avenida fica mais bonita
Arquivo pessoal

Playa del Carmen tem seus lugares mais requintados com os preços altos, mas também não deixa na mão quem está fazendo uma viagem de baixo custo. Existem hospedagens e hotéis para todos os bolsos. Logicamente, para se alojar, os preços elevados são daqueles opções que ficam na beira da praia ou muito perto da quinta avenida. O mesmo pode ser considerado para a alimentação. Se você quer encontrar algo que caiba no bolso, não vai precisar andar muito. Umas duas ou três ruas atrás da Quinta Avenida já deixa os valores mais baixos. Considerando que o México não é país um caro, também vai depender do seu planejamento financeiro e do quanto está disposto a gastar com o básico e os mimos. Eu não senti os valores serem altos, até porque procurei opções em conta e comprava comida para cozinhar no hostel.

Uma coisa legal que você encontra na praia são as macas de massagem. Diversos massagistas ficam disponíveis para o serviço ali mesmo na areia. Se puder, se planeje para uma massagem dessas. Outra coisa curiosa é que diversos hotéis na orla deixam camas elegantes e espreguiçadeiras para os seus hóspedes relaxarem. Nunca tinha visto isso antes. O público em geral que passa por lá, dá de cara com essa estrutura. E mais uma curiosidade: à noite, na Quinta Avenida, você encontra os famosos mariaches, aqueles homens de sombreiro enorme e vestidos de roupas tradicionais com os seus instrumentos musicais para entoar alguma canção típica.

Segurança

No quesito segurança, eu não vi problemas, porém não recomendo abusar. A maioria das vezes que saí à noite, eu estava acompanhado. Essa região que descrevi, perto do Wallmart, Avenida Benito Juarez e Playacar são seguras. Na alta temporada, o policiamento é mais forte. Porém, se você vai para um lugar afastado, é preciso cautela. Não andar tarde da noite e sozinho em locais distantes não é prudente em qualquer lugar do mundo. Seguindo todas essa minhas dicas, Playa del Carmen vai ser uma viagem encantanda!! Aproveite! Sinto saudades desse lugar! Um dia vou voltar.

Como foi o meu passeio pelo bairro García Ginerés, em Mérida, no México

Oi, pessoal. Hoje eu vou mostrar um lugar que não está no radar turístico dos visitantes da Mérida, no México. O lugar é o Parque Las Américas, no bairro García Ginerés que está próximo do famoso Paseo Montejo. O interessante desse bairro é que você passa a ver como é convivência entre os habitantes locais mesmo, e assim acaba observando uma interação mais cotidiana de quem mora lá.

O Parque Las Américas é bem convidativo para um passeio no fim de tarde, quando o sol está dando uma trégua. Na praça principal, você encontra uma espécie de palco de apresentações aberto e umas colunas que dão um charme para a região. O ambiente lembra um pouco um jardim ao ar livre. Além disso, diversos monumentos fazem referência à história dos maias.

Fim de tarde na colônia García Ginerés. O pessoal começa a bater um papo em meio ao Parque las Américas. Espaço e colunas é o que não falta

Que bonitinho! O cenário tem um ar romântico com essas luzes espalhadas nas colunas enfeitadas de flores

Essa é a visão de quando a noite vai chegando ainda mais. As luzes das colunas deixam o parque só mais elegante. Espaço para sentar, andar e conversar não falta aqui

Uma dica essencial é não deixar de usar repelente. Os mosquitos por lá têm uma fome insaciável. Para encontrar fácil o Parque Las Américas, é só chegar até o Walmart do Paseo Montejo e virar a esquerda, no sentido da avenida. No seu Google Maps, no celular, também fica simples de achar.

Essa é uma arte que lembra os povos antigos, provavelmente os maias, que habitaram na região

Do outro lado do Parque, tem essas esculturas com esse estilo relembrando a arte antiga da região

Essa fonte na ocasião não estava funcionando, mas não tirou o diferencial da paisagem

Em volta do Parque las Américas, existe um ou outro comércio. As barraquinhas de comidas típicas começam a aparecer mais tarde, aproximadamente umas 18h00