Como quase perdi no aeroporto a minha viagem para o Chile

Quem viaja de avião já sabe que o recomendado para chegar no aeroporto é de três horas de antecedência para voos internacionais. E eu acabei saindo de casa 15h00, sendo que a decolagem era às 17h45. Ainda assim, eu não imaginava que fosse chegar tão em cima da hora no aeroporto de Guarulhos porque a minha irmã tinha dito que levava uma hora até lá.

Bem na hora que eu estava indo para o metrô Bresser de carro por aplicativo, a chuva começou a fazer o trânsito ficar mais demorado ainda. São Paulo não pode ver uma chuva que já tem congestionamento.

Quando cheguei no aeroporto já era mais de 16h30. Imagina só, então comecei a andar rápido em direção ao meu guichê já falando que eu estava em cima da hora para a atendente. Sorte que, nessa parte, não tinha fila. O perrengue estava me esperando depois da passagem das viagens internacionais.

Ah, só para localizar mais você, tem post dessa viagem aqui. E aí eu já estava com medo de perder o voo porque sabia que ainda tinha umas filas para passar e se tivesse muita gente esperando, eu não ia conseguir chegar no avião a tempo.

Meu Deus do céu, eu deveria ter ido mais cedo sem me importar em pagar um pouco a mais no Uber que estava cobrando bem mais caro que o normal por causa da chuva. Ainda mais que já tinha tido a frustrante experiência de perder um voo na Colômbia.

Depois que fui atendido no check-in, passei por aquela parte chiquérrima dos embarques internacionais. Estava com saudades de fazer aquilo. Entrei contente pelo recinto com a minha malinha de mão e a minha mochila.

Quando chego na fila para fazer o raio-x, veio o susto. Umas 35 pessoas estavam na fila para passar pelo que parecia ser somente uma esteira. Aí comecei a me debater já ali mesmo. A única saída foi andar até o começo da fila e implorar para a pessoa deixar eu passar na frente dela. Se ela não deixasse, o mico ia ser todo meu. Teria que continuar pedindo para furar fila até alguém deixar.

Chamei a moça que a era próxima de vez:

– Ei… – Ela hesitou um pouco, mas eu insisti.

– Ei, você pode vir aqui um minutinho? – falei rápido e aí ela veio meio reticente ou desconfiada.

– Oh, moça, você poderia deixar eu passar na sua frente? É que o meu voo é daqui a minutos, por favor… – Fui mostrando a minha passagem de embarque.

– Ah, sim, por mim não tem problema…

– Muito obrigado, muito obrigado – agradeci já mais aliviado.

Na frente desta moça, tinha outra amiga dela que viu o meu desespero e me deixou passar também.

Uma coisa que atrapalhou para sair logo da fila foi colocar o meu cinto da calça de volta porque o detector de metais apita com esses materiais. Na hora de colocar o meu cinto de novo, ele não estava encaixando, estava emperrando.

Aí, eu simplesmente deixei ele de lado e guardei na bolsa. Eu ganhei uns quilos. Então sabia que não ia passar vergonha de ver minha calça cair no meio do aeroporto.

Fui passando pelo corredor gigante que tem as salas de embarques e adivinha onde que era a minha? Bem no último portão, nem deu para dar uma olhadinha naquelas lojinhas.

Cheguei apressado no portão de embarque e já tinha pessoas entrando. Nessa hora, já fiquei bem mais tranquilo porque não tinha mais risco de perder o meu tão esperado voo para Santiago.

Aqui eu sentadinho no meu lugar no avião. Bem tranquilo. Voo garantido para Santiago? Sí, señor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s